Adeus Orwell


Parece que agora temos de pedir a facturazinha. Sim, a facturazinha, se faz favor. Do café. Do pastel de nata. Da pasta de dentes comprada à pressa na mercearia da esquina. Do jornal da manhã e dos lenços de papel. A facturazinha, se faz favor. É um direito meu… ou melhor, desculpe, um dever. Pois, um dever. Se não a pedir, arrisco-me a ser multado. Toma, Manel! Quer gostes, quer não gostes, o senhor ministro quer saber, ter papelinhos, conferir… e quer que faças o mesmo, que guardes com zelo em metódico arquivo todas as provas. Porque todos temos de poder provar tudo. Porque há um “sistema”. E fiscais. E cruzamento de dados. E o que mais se possa inventar para controlar. Para saber. Prova, Manel, tens de provar... a facturazinha, se faz favor.
Adeus Orwell. Eras um aprendiz…

2 comentários:

  1. Oi! Folgo por te "ver". Estás com "bom ar". abraço

    ResponderEliminar
  2. Olá Vítor! Bons olhos "te vejam!". Obrigado pela visita. Abraço

    ResponderEliminar